quarta-feira, 12 de maio de 2010

Ampliado prazo para apresentação de propostas ao CBA


Clique no cartaz para ir à página com as instruções. A data lá ainda não foi corrigida, mas o que vale é esse e-mail que recebi.

3 comentários:

  1. Flávia, eu concordo em número, gênero e grau com as suas palavras. Inclusive mandei um email para o pessoal do trabalho dos blogs dizendo que achava um absurdo um estudante de pós ser encaixado como "INSTITUCIONAL", apenas para aumentar a arrecadação dos recursos. Como assim? Estudante de pós não é estudante? Ou eles partem do princípio de que todos trabalham? Pior ainda, as pesquisas da pós tem, necessariamente, amarração com o mercado? Essa é a maneira de incentivar a pós-graduação nos eventos científicos? Mas pelo jeito o bolso vai continuar esvaziando. Os preços do ENANCIB estão no link: http://congresso.ibict.br/index.php/enancib/xienancib.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Flávia, apenas mais uma informação: os trabalhos podem ser submetidos sem o pagamento prévio da inscrição. Eu liguei na organização do evento para pegar a informação.

    ResponderExcluir
  3. Flávia, vc está coberta de razão. Se eu contar como nós professores somos tratados, a situação beira um guadro de Magritte.

    No penúltimo ENANCIB, que foi em São Paulo, a representação do PPGCINF (Sofia e eu) só podía ter um limite individual de diárias que não chegava a R$ 120,00 por dia, mesmo com o programa tendo mais recursos para isso. Somos proibidos de receber diárias mais altas, por lei federal. Durante o Panamericano do Rio, o valor foi dobrado, por MP, mas depois voltou-se à "legalidade" (vamos ver se com o novo ministério das olimPIADAS, as diárias sobem de novo). Ah, como o congresso começava no domingo (como soi acontecer) tínhamos um desconto, já que a adminstração federal, proíbe viagens a serviço no domingo e o valor era bem menor. Por sorte tanto ela como eu temos família em São Paulo, o que permitiu economizar o hotel e por menos dinheiro do próprio bolso para representar oficialmente a universidade.

    Vamos além: a CAPES (amada e idolatrada) cobra que os programas tenham inserção científica, que os alunos divulguem suas pesquisas etc. Como fazer isso nessas condições que você relatou? Os poucos recursos que temos na pós são consumidos pelas bolsas ("milionárias"), que, obrigatoriamente, devem representar 70% de nosso gasto. O resto mal dá para cobrir despesas de trazer membros externos para as bancas.

    A única coisa que é possível indicar quanto ao ENANCIB é que o PPGCINF irá TENTAR ajudar a participação discente. Há o entendimento de que, como os recursos são ínfimos, é melhor direcionar o apoio para o congresso mais abrangente e significativo da área. Se o ENANCIB é tudo isso mesmo eu não sei, mas me parece um critério mais democrático, dentro das perspectivas atuais do PPGCINF.

    Triste né? Elaborar estratégias para melhor socializar a miséria... Parece que o processo de nivelamento por baixo está longe de ter fim, infelizmente. O alento é que há pessoas, como vc e Rodrigo (e muitos outros) que, por amor à camisa, não deixam a peteca cair, mas, até quando? Pelo menos que seja eterno enquanto dure, como alguém mais já disse.

    ResponderExcluir